Compartilhe
Ver o tópico anteriorIr em baixoVer o tópico seguinte
avatar
Mensagens : 59
Data de inscrição : 18/07/2017
Idade : 19
Localização : Rio de Janeiro

Ficha do personagem
HP HP:
0/0  (0/0)
EXP EXP:
0/0  (0/0)
C.A C.A: 10
Ver perfil do usuário

Deuses Primordiais

em Seg Jul 31 2017, 01:51
Silandri

Silandri, um dos 4 que lutaram e iniciaram a rebelião contra Eldrath, entre estes ele perdia para Omnio e empatava com Zarnark, Silandri sempre foi de certa forma  ciumento e ganancioso, sembre cobiçou Juviana ainda mais quando seu irmão mais velho a pegou para si, Silandri acima de tudo manteve seu orgulho e semeou de certa forma a discórdia esperando por um dia em que Omnio abrirá fogo contra ele para poder destroná-lo. No fundo de seu coração, Silandri queria estar no lugar de Omnio, ter todos sob seu comando, ter uma esposa bela a seu lado, ter filhos para contemplar... na verdade, ele faria melhor... teria destruído para sempre os malditos elementais, as personificações de seu odiado pai e não teria banido Zarnark, não pela atrocidade que fizerá, o teria exterminado e feito todos esquecerem do significado de seu nome.
Como maior forma de provocar o ódio de Omnio sobre si, foi atiçar Juviana e ter casos com ela, se tornou amante da mesma, Silandri era entre os deuses mais elegantes e atraentes, porém teve seu preço (que na verdade aprovou de bom grado) que é ser banido dos salões e agora é o comandante das forças do primeiro portão celeste, caso o paraíso algum dia caia, o primeiro a cair será o deus da guerra... Porém, Omnio ao perceber o desdém de Silandri, tirou algo mais dele... sua beleza assim como a maldição que caiu sobre suas criações, que eram similares aos celestiais de Omnio, os orcs perderam suas asas e se tornaram feios assim como seu criador, o maior desejo de Silandri desde esse acontecimento é acabar com Omnio e criar sua dinastia perante os céus.

Dogmas:  Os adoradores de Silandri em maioria são mercenários e guerreiros orgulhosos, eles rezam a Silandri toda vez antes de ir a batalha ou durante a hora de se prepararem, assim como em treinamentos. O certo a se fazer é agradecer toda vez ao deus ao sair de uma batalha vivo e rezar cada vez mais conforme continua seu serviço como guerreiro. Silandri vê espólios de guerra como recompensa dos esforços de guerreiros em uma guerra, e que a guerra é a única forma de contemplar glória e a evolução marcial de um guerreiro ou mais.

Descrição: Silandri é representado com um escudo ogival com um olho vermelho em seu centro

Tendência: Caótico e Neutro

Relações: Silandri tem uma relação razoável com Juviana, tem péssima relação com Omnio e com os outros deuses em maioria ele é neutro, ele é o único deus que é neutro com Zarnark, que faz vários dos seus irmãos e sobrinhos pensarem que ele esteja pendendo para o mal.

Crença dos Devotos: Deve lutar com todos seus esforços, quando estiver em uma batalha você está provando o seu valor ou de um país, se perder só mostra que você foi fraco perante seu oponente, sempre lutar com o máximo de si, um passo errado é morte certa e o fim de toda a sua glória ou sentido de ser um guerreiro. O guerreiro perfeito é aquele que aperfeiçoa um estilo de combate, tornando arma e corpo em um só.

Domínios: Guerra, Ódio e Fogo

Simbolo Sagrado: Escudo Ogival com um olho vermelho sangue

Arma preferida: Montante

Cores do deus: Vermelho e Cinza.

Lema: “A guerra é como um teste, selecionar quem está mais apto ou não de receber a glória"
avatar
Mensagens : 59
Data de inscrição : 18/07/2017
Idade : 19
Localização : Rio de Janeiro

Ficha do personagem
HP HP:
0/0  (0/0)
EXP EXP:
0/0  (0/0)
C.A C.A: 10
Ver perfil do usuário

Re: Deuses Primordiais

em Seg Jul 31 2017, 01:55
HOLGEON


Holgeon, um dos 4 deuses que iniciaram a grande rebelião contra o criador, Holgeon está entre os mais calmos dos deuses muitos o chamam de despreocupado, porém não queira ver o deus dos mares furioso, pois sua fúria é implacável quanto uma tempestade no mar. Ganhou seu título de senhor dos mares, por ter criado as águas do mundo a partir de seus próprios flúidos (sangue), além do acordo com Omnio de cada um dos 4 terem seus dominios e proteger a todo custo. Dizem que Holgeon possui um plano paralelo ao material ou até mesmo possuindo um reino nas águas profundas de Etrian, governando seu imenso território com força e perseverança. Houve uma época que Daliana, visitou seus mares e nessa visita que originalmente foi feito por conhecimento e curiosidade, acabou em um caso entre os dois deuses e Daliana em tempos depois deu luz a Falkir, o deus da chuva.
Durante a tentativa de Zarnark, de tomar o paraíso e seu trono de rei dos deuses, ele não participou mas cuidou dos filhos novos de Omnio que posteriormente se chamariam de os quatro ventos, acabaram aprendendo muito com Holgeon e consideraram ele como um segundo pai, com o fim do conflito os mesmos acabaram amando tanto o plano material que seu tio havia mostrado que acabaram vivendo como mensageiros e controladores dos ventos, muitas vezes eles se encontram com Holgeon em seu reino marinho.
Holgeon foi um dos últimos a criar seres marinhos, ele na verdade já havia criado todos os tipos de seres vivos, de peixes a lulas, porém ele queria algo mais... algo que ele tinha visto em Daliana e em honra ao amor que tem da deusa ele criou as sereias, mulheres meio peixe, porém com uma beleza similar da deusa, com o tempo ele se apaixonou por suas crias e teve inumeros filhos com elas que se originou-se os lordes marinhos, que no total são quatro.

Dogmas: Holgeon preza pela paz, raramente ele participa de conflitos, geralmente é ele que acalma tempestades nos mares (a menos quem mereça), ele acredita na liberdade e na constante evolução da vida, sendo muitas vezes visto como padroeiro também dos aventureiros, aqueles que arriscam hoje sem saber o amanhã. Holgeon é um dos deuses menos cultuados, há templos sempre próximos a portos sendo seus seguidores em maioria pescadores e marinheiros agradecendo a cada viagem pela vigilia do deus por ele estar vivo.
Descrição: Holgeon é visto na maioria das vezes como um homem com escamas de peixe e uma longa barba branca carregando um arpão em sua mão direita e em sua mão esquerda uma mão estendida e aberta para frente como se estivesse acenando, algumas versões ele tem a parte posterior de peixe e a parte superior com corpo de um marinheiro veterano, geralmente sempre mudando a parte superior em relação a raça que o cultua.

Tendência: Neutro e Bom

Relações: Holgeon é neutro com todos os deuses, possui certo amor por Daliana, raramente ela vai até seu reino marinho do mesmo, possui respeito a seu irmão Omnio e é um dos deuses que não se importam com a atual reputação de Zarnark.

Crença dos Devotos: Holgeon possui poucos clérigos ou pessoas que seguem fervorosamente seus dogmas, acreditam eles que viver no mar é o melhor a se fazer, não é tão bom quanto o paraíso prometido e também não é tão pior quanto os sete infernos de Zarnark. Porém estes acreditam que os seres marinhos são puros quanto a água e que água é a fonte da vida, querendo fazer parte de um lugar puro e que não há guerras como a superfície, nem mentiras e pecados quanto.

Domínios: Mar, Paz e Liberdade

Simbolo Sagrado: Arpão de Corais sobre o mar

Arma preferida: Arpão ou Lança de Arremesso

Cores do deus: Azul, Branco, Bronze (Coral) e suas variações

Lema: “O mar é vasto e incrível, assim como a vida ele segue rumos que nós nunca imaginamos"
avatar
Mensagens : 59
Data de inscrição : 18/07/2017
Idade : 19
Localização : Rio de Janeiro

Ficha do personagem
HP HP:
0/0  (0/0)
EXP EXP:
0/0  (0/0)
C.A C.A: 10
Ver perfil do usuário

Re: Deuses Primordiais

em Seg Jul 31 2017, 01:57
OMNIO

Omnio foi o líder ou pelo menos é o que se acredita da rebelião dos deuses contra seu criador, Isteran... junto de seus três irmãos: Zarnark, Silandri e Holgeon lutaram contra seu pai mas falhando, até que o restante dos deuses ao ver a causa de Omnio, vendo que ele não era um rebelde e sim um revolucionário o apoiaram e assim Omnio destronou seu pai, que furioso com aquilo já tido filhos legítimos, os 4 elementos em personificações diferentes de Isteran (emoções para ser mais exatas) acabaram perdendo e recuando até se exilarem e criarem um plano específico apenas para eles. Depois desse episódio, Omnio criou o paraíso, um recanto para os deuses vitoriosos e lá ficaram enquanto os filhos legítimos de Isteran ficam em seu silêncio sepulcral aguardando o momento de atacarem os deuses, Omnio desde sua existência nunca gostou do jeito de Kenya, uma deusa misteriosa que inicialmente havia dito que era obra do grande Isteran também, ele sabe dos crimes dela e só seus sete alto-celestiais sabem disso, que foram suas sete personificações encarnadas, Omnio havia criado os celestiais para manter a ordem em Etrian e protegerem o paraíso.

Dogmas:  Os adoradores de Omnio devem fazer suas preces duas vezes ao dia, uma de manhã quando omnio ainda está acordando e a outra quando omnio vai dormir, além disso é de costume sempre vestir uma peça de roupa azul em homenagem aos céus. Todos os seus adoradores devem ser de boa índole ou provindos da nobreza. Os detentores do equilibrio são a única excessão disto, servindo o deus de forma fiel e justa.

Descrição: Omnio é representado por um cetro com raios, representando sua liderança entre os deuses. Também é de costume representar omnio como uma grande realeza bela e inatingível, há alguns vitrais com o rei dos deuses, muitas vezes é visto em volta de um vestido azul celeste com cinza, negro e amarelo (representando as cores do céu) carregando seu cetro na mão direita e na mão esquerda há sinais de ordem como se estivesse apontando para o vazio, Omnio é visto também em sua forma de batalha, com uma armadura de placas divina, seu corpo feito de pura energia preenchendo todos as frestas da mesma e sua lança celestial: Zafirum.

Tendência: Leal e Neutro

Relações: Omnio possui uma relação neutra com a maioria dos deuses exceto Silandri e Zarnark, Zarnark sempre amou profundamente Juviana e depois de exilado seu maior desejo é tomar Etrian e depois o paraíso celeste, depois de ter tido relações com Ravélia acreditam que o deus da morte não há mais faísca de amor pela rainha dos deuses, porém Silandri sempre ambicioso assim como a guerra sempre se inicia.
Crença dos Devotos:  Sempre haverá aqueles que nasceram para liderar e os vassalos, de um líder deve-se esperar que seja respeitável e digno de cargo, um líder deve-se sempre se fazer o exemplo de quem ele quer liderar e deve-se manter leal a vossa causa, que líder seriam se não dessem ao povo um motivo pra continuar a viver?

Domínios: Céu, Tempestade e as Sete Virtudes (Sete personificações)

Simbolo Sagrado: Relâmpago ou uma Coroa com raios.

Arma preferida: A Lança de Arremesso

Cores do deus: Azul e suas tonalidades, Azul marinho , Azul claro , Azul escuro e etc..

Lema: “Somente aqueles com as sete chaves, abrirão o caminho para o paraíso”
avatar
Mensagens : 59
Data de inscrição : 18/07/2017
Idade : 19
Localização : Rio de Janeiro

Ficha do personagem
HP HP:
0/0  (0/0)
EXP EXP:
0/0  (0/0)
C.A C.A: 10
Ver perfil do usuário

Re: Deuses Primordiais

em Seg Jul 31 2017, 02:03
ZARNARK

Zarnark é o segundo mais velho dos deuses, era grande amigo de Omnio na época que rebelaram contra seu pai, anteriormente era neutro e bondoso com seus irmãos, principalmente com Omnio, até sentir ciúmes do mesmo por ter atraído a bela Juviana a seu lado e ter tido filhos com ela, o tempo se passa e aquele sentimento cresce em seu coração, enquanto isso os deuses iam trabalhando dia após dia, cada um fazendo suas obras na terra... Zarnark não tinha ideia em o que fazer, queria fazer algo que não lhe representasse, mas colocasse o que lhe importava ao mundo, e então de fato ele criou as ninfas, espíritos da natureza que eram puras assim como Juviana, os deuses acharam estranho o ato de Zarnark, achando que ele não tivesse entendido o trato, até que o filho mais velho de Omnio, havia feito os humanos porém ao deverem sair a sua imagem, sairam mesmo assim com mácula, com pecado em seu coração, os deuses ficaram com muita suspeita sobre ele, Omnio e Juviana foram os que mais o defenderam mas o restante acreditava que ele havia de alguma forma sido possuido pelas emoções de Isteran, Zarnark sonhou então que seu sobrinho mataria sua amada, seu irmão e todos os deuses em apenas uma noite, ele ficou com medo daquilo, de fato o jovem príncipe estava crescendo a cada dia ficando tão forte quanto seu pai, isso se não o superasse, até que Zarnark agiu antes movido pelo medo dessa tragédia e matou seu sobrinho, Omnio com desgosto e ira, pela primeira vez jogou uma sentença contra algum deus, exilio eterno... Zarnark então expulso do Paraíso caiu no profundo abismo, nas terras sombrias... onde seu antigo pai nunca tocou, onde o desconhecido vivia e o mal reinava... e então possuido por esse mal e atiçado mentalmente por Kenya, Zarnark se tornou outra pessoa... se tornou frio, um coração que foi manchado por um mar de trevas. Atualmente ele é o deus da morte e é o rei do sub-mundo, teve 3 filhos com Kenya que fingiu o consolar e após a sua morte ele casou-se com Ravélia a segunda deusa que foi exilada caindo nas trevas junto de Zarnark.

Dogmas:  Os adoradores de Zarnark devem honrar o seu nome, não devem matar em vão, mas matar aqueles que se dizem serem justos e que na verdade não o são, ele atiça também a entregarem almas de pecadores como forma mais rápida de definir o destino frio destes, mas o que ele mais ama de verdade são os sacríficios que seus seguidores fazem a ele, preferindo sempre virgens e que tenham morrido de forma lenta para chegarem tormentadas no inferno.

Descrição: Zarnark é representado por várias formas, geralmente por um corvo que carrega uma foice e possui uma estrela de sete pontas em sua testa (representando os sete lordes do inferno que o serve), outras como uma foice com sete crânios ao redor e o mais raro é um olho fechado com um par de asas de celestial negras. Mas em sua forma verdadeira ele geralmente é um par de olhos vermelhos em volto de uma mortalha feitos de corvos, porém seus necromantes o imaginam como um homem jovial com olhos totalmente brancos, cabelos totalmente brancos enquanto sua pele é negro trevas, depois de ter consumido muitas almas de pecadores.

Tendência: Caótico e Mal

Relações: Zarnark odeia quase todos seus irmãos, se apaixonou por Ravélia, lembrando de fato seu antigo amor platônico, Juviana, tirando Ravelia e sua ex-esposa Kenya, Zarnark ou é neutro ou inimigo dos deuses do paraíso, sempre arquitetando uma forma de trespassar uma vez de todas os portões solares do paraíso.
Crença dos Devotos:  Sempre haverá a morte, os sentimentos não passam de ilusões, coisas fúteis e sem sentido, a vida é temporária enquanto a morte é eterna, todos devem se preparar para seu destino que é a inexistência, o repouso eterno que todos chamam de morte.

Domínios: Inferno, Arrogância e Ciúmes

Simbolo Sagrado: Corvo dentro de uma estrela de sete pontas vermelho sangue.

Arma preferida: A foice, outras uma cimitarra.

Cores do deus: Vermelho, Negro e Púrpura, e variações dessas cores.

Lema: “Assim como os fortes governam os mais fracos, a morte governa a vida"
Conteúdo patrocinado

Re: Deuses Primordiais

Ver o tópico anteriorVoltar ao TopoVer o tópico seguinte
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum