Compartilhe
Ver o tópico anteriorIr em baixoVer o tópico seguinte
avatar
Admin
Mensagens : 6
Data de inscrição : 29/03/2017
Idade : 20
Localização : São Paulo

Ficha do personagem
HP HP:
0/0  (0/0)
EXP EXP:
0/0  (0/0)
C.A C.A: 10
Ver perfil do usuáriohttp://sagaetrian.forumeiros.com

[01] Chegada da Princesa

em Dom Abr 16 2017, 19:32
[19:46] «!» O dia já estava chegando ao fim e Nellgobell se aproximando a cada vez mais, a longa viagem já passava dos 15 dias com todos exaustos por tanto esforço e problemas que houveram na viagem, um pouco menos que a metade da comitiva acabou sendo morta ou separada da carruagem, tudo isso foi um ataque dos orcs mas nada aconteceu com Stor e muito menos com Katerine. O guarda-costas era o que estava mais exausto porém a sua preocupação o deixava desperto como uma energia reserva, a todo momento olhando para as montanhas escarpadas esperando alguma outra emboscada. Só conseguiria descansar assim que chegasse no palácio e teria que relatar ao Rei ou Membros de Irismor. Katerine estava com receio e medo, acreditando que o casamento seria algum tipo de armadilha
[19:46] «!» << Ação Livre >>
[19:46] >> Gabriel colocou o modo +Voz em Katerine Aerdrir
[19:46] >> Gabriel colocou o modo +Voz em Stor
[19:56] <Katerine Aerdrir> Estava agitada dentro da carruagem. O silencio necessário para não cairmos de surpresa em outra batalha, era certamente incomodo, como se algo fosse aparecer se começássemos a conversar. Abria apenas uma leve fenda pela janelinha da carruagem, na direção de Stor, deixando-se ser vista enquanto  movia os lábios em um "Está tudo bem?".
[19:56] <Katerine Aerdrir> >>
[20:02] <Stor> - A carruagem é barulhenta, se você falar não tem problema, se for baixo. *Comentou, olhando de soslaio para ela e vendo seus lábios se mexendo* - Não se preocupe, eu vou matar qualquer coisa que se aproxime da carruagem e o maldito que organizou isso.
[20:09] <Katerine Aerdrir> Olhava aos lados, então suspirava enquanto abria a janela e me apoiava na mesma. -  Acha que foi realmente premeditado o ataque? Digo, eram orcs, poderiam estar passando e acharam que seria uma boa nos saquear.... Eu realmente não quero pensar que esse casamento seja um ninho de possíveis conspirações, pois se for isso mesmo, não estamos fazendo exatamente o que eles querem? - Comentava baixo, observando a trilha montanhosa.
[20:09] <Katerine Aerdrir> >>
[20:11] <Stor> - Isso nós veremos. Quando eu olhar nos olhos das pessoas que estamos indo encontrar, se ver eu arrancando a cabeça deles com a minha espada, você já saberá que eles foram os culpados. Não se preocupe princesa, eu sou seu escudo, até o dia da minha morte, e apenas você pode me ordenar. Até meu último respiro, essa será minha função. *Comentava, arrumando seu elmo com uma penugem púrpura vertical no meio (tipo elmo espartano), atento aos arredores* - Humanos são os piores seres que existem, não monstros como orcs. É por isso que sempre temos de cogitar essa possibilidade. Mas não vou deixar esse casamento acontecer se eu ver algo de errado.
[20:14] <Stor> >>
[20:17] <Katerine Aerdrir>  - Não sei se me sinto segura, ou preocupada com você arrancando cabeças ..... -  Deixo um riso baixo escapar, aliviando a tensão por alguns segundos. -  Será que o Tio Theon cancelaria o casamento se soubesse que poderia ser uma armadilha?
[20:17] <Katerine Aerdrir> >>
[20:21] <Stor> - Ele sempre está dando motivos para isso. É um completo idiota, se me permitir dizer, princesa. Se isso foi um plano dele, devia ter dobrado o número de orcs e talvez tenha conseguido me matar. *Vendo que havia sido rude com um membro da família real por ter falado sem pensar muito pois sua atenção estava nos arredores, tentou se redimir* - Me desculpe, eu não quis ofender o irmão de Magnus, Princesa.... Espero que me perdoe por isso. Mas sim, quando chegarmos em segurança em nosso destino, deixaremos claro que o casamento não poderá acontecer pois sofremos um ataque surpresa. Isso é algo que o Reino terá de rever para ter suas fronteiras mais segura, pois... Se nem sequer a Princesa está segura, como o povo se sentirá? *Olhou para ela, com um breve sorriso de lado* - Vamos usar isso ao nosso favor, afinal, duvido que você queira esse casamento e veja como benéfico para todos.
[20:26] <Katerine Aerdrir> Respondo um sorriso com um outro no mesmo tom. -  Parece que me conhece bem demais. O que faria se todos a sua volta estivessem depositando esperanças para um reino próspero e unido, em um casamento entre você e uma garota que você não consegue  ficar na mesma sala por uma hora inteira? -  Torcia a cara ao comparar a situação. Não gostava de Raymund e acreditava que o mesmo sabia disso, o que tornava a situação ainda pior.
[20:26] <Katerine Aerdrir> >>
[20:30] <Stor> - Eu sou diferente da princesa, se me permite dizer. Eu o faria, teria quantos filhos fosse necessário, se essa fosse minha função. Mas não é porque eu sou assim que eu gostaria que os outros também fossem.... E, a princesa é diferente das outras princesas, um mero nobre não conseguiria ordená-la por aí, é bem mais capaz de ocorrer o oposto. *Depois de falar tudo isso, levantou o rosto e analisou os soldados de Theon, ainda emitindo uma aura de morte através de sua postura, peso e tamanho, ainda mais estando em cima de um cavalo negro como a noite*
[20:39] <Katerine Aerdrir> O sorriso se desfaz, tornando um rosto neutro novamente. -  É... existe um dever a ser cumprido, muitas pessoas esperam por isso e a união de dois povos fortaleceria tudo. O jeito mais prático e rápido, um casamento.... ai ai... -  Suspirava pesadamente, apoiando um braço na janelinha para colocar a cabeça deitada, enquanto mexia em um ou outro enfeite daquele penteado que já estava incomodando e de certa forma já bagunçado. -  Você continuaria sendo meu guarda-costas depois do casório... ou teria que ser alguem de Anariel?
[20:39] <Katerine Aerdrir> >>
[20:42] <Stor> - Eu serei sempre o seu guarda-costas, princesa. Existe um documento formalizando isso, e ninguém pode ignorá-lo. E foi como eu te disse, minha obrigação é somente protegê-la, independentemente com que esteja, meu escudo somente serve para sua sobrevivência, e de ninguém mais. Eu fui criado para isso, fui ensinado para isso, para desempenhar esta única função, e não existe criatura viva que vai me impedir disso. *Olhou de volta para Katerine, e tentou esboçar um sorriso para ela, algo que não fazia muito, quase se podia contar nos dedos quantas vezes fazia isso num ano inteiro*
[20:51] <Katerine Aerdrir> - Stor só quero que me prometa algo. -  Levanto o rosto e o encaro nos olhos com toda seriedade possível. -  Se algo realmente ficar perigoso, e as chances de sobrevivencia forem nulas, você irá acatar minhas ordens e recuará, mesmo que isso implica em algo com a minha vida.... Sei que foi treinado para isso, mas as coisas são diferentes comigo, e não quero um amigo sacrificando-se por mim, entendeu?
[20:51] <Katerine Aerdrir> >>
[20:56] <Stor> - Essa é a única ordem que terei de descumprir, Princesa. Nesse momento agora, posso ser seu amigo Stor, mas, se algo assim acontecer.... Apenas mais um Dragonsbane terá feito seu trabalho. A Senhorita não entenderia minha felicidade em salvar sua vida em troca da minha.... *O sorriso foi mais abrangente, ao ponto de mostrar os dentes de Stor. Ele era um péssimo mentiroso e Katerine sabia disso, tampouco sabia esconder suas expressões faciais portanto, estava realmente feliz enquanto falando sobre um fato como esse*
[21:03] <Stor> >>
[21:03] «!» Enquanto vocês conversavam, os outros dois guardas continuavam atentos e apostos, o resto da comitiva no mesmo ritmo até que Stor repara na aproximação de um grupo de cavaleiros vindo da cidadela, o cavaleiro mais a frente trazia a bandeira dos Aerdrir, eles paream com a comitiva, o porta-estandarte se aproxima de Stor enquanto realizava uma referência. Katerine só nota a presença deles quando se aproximam de Stor e como de costume o guarda-costas estava totalmente desconfiado e já com a arma bem próxima a si
[21:05] «!» A voz do homem lhe parecia familiar mas você não lembrava ao certo de quem até ele mencionar o nome Cedric, o lorde de Nellgobell, ambos já se conheciam ele era muito presente em algumas festas/torneios entre os dois reinos...
[21:06] ** NPC: <Cedric> -- O que aconteceu? Vejo que tiveram alguns problemas.. Dizia em tom preocupado
[21:06] «!» >>
[21:08] <Stor> -- Lorde Cedric, fomos abordados por um grupo de Orcs. Nada impossível de lidar, mas a segurança precária assim para a chegada da Princesa para uma cerimônia é algo a se colocar mais esforços. Não estou cobrando nada de sua parte, mas tudo parece fora de lugar para mim. *Dizia para o homem, observando-o de cima abaixo, como se estivesse medindo suas ações. Stor não era uma pessoa confortável de se estar perto, porque sempre estava analisando alguém, pela segurança de Katerine*
[21:13] <Katerine Aerdrir> Quanto mais o via sorrir, mais franzia o cenho irritada com Stor, mas antes de respondê-lo percebia a movimentação do guerreiro, em seguidas os cavaleiros. Sem pensar duas vezes volto para "dentro" da carruagem, deixando novamente a janelinha meio aberta para saber quem eram e do que se tratava. Fico ali sem me intrometer ou me expor, até que fosse chamada por Stor, como uma garantia que tudo estava bem.
[21:13] <Katerine Aerdrir> >>
[21:21] ** NPC: <Cedric> -- Orcs é?.. Muito estranho, até aumentamos nossas patrulhas na região para evitar problemas. Mas temos que informar o Rei Theon sobre isso, isso não tenho dúvida. Irei acompanhá-los até o palácio e veremos que será feito, enquanto isso irei aumentar a guarnição no palácio até termos a decisão do Rei e da Ordem. Dizia entre preocupado e angustiado, ele não esperava que houvesse tais problemas ali
[21:22] «!» Conforme vocês se aproximavam dos portões da cidadela, vocês notam a presença das forças de Theon, da guarnição e da Ordem, havia 3 bandeiras diferentes espalhadas pela cidade, a que mais se destacava era o dragão escarlarte dos Aerdrir sobre o branco do inverno
[21:22] «!» >>
[21:25] <Stor> -- Princesa, se quiser, pode espiar mais para fora. Estamos perto dos portões, não existe tanto perigo agora. *Comentou num ar que só Katerine poderia notar. Ela não estaria vendo nada pela fresta, porque colado na carruagem estava Stor, agindo realmente como um escudo de carne, com a mão sempre no punho de sua espada longa*
[21:35] <Katerine Aerdrir> Seguia o conselho de Stor e abria a janelinha já praticamente me debruçando sobre ela. Era bom ver outros ares que não fosse Shaer, e como vinha pouquíssimas vezes para este lado pelo risco da viagem, me sentia empolgada sobre os locais que poderia explorar.-   O pessoal da ordem já esta aqui, será que Nathan está na cidade? -  Comentava sobre o amigo que não via á um bom tempo. - Bem, parece que você já pode relaxar Stor, acho que os orcs não se arriscariam vir aqui...
[21:35] <Katerine Aerdrir> >>
[21:38] <Stor> -- A senhorita é realmente uma boa alma no final das contas, não? Eu duvido até de minha própria sombra, princesa.... E desconfio de tudo e de todos, até mesmo de um simples rato. Mas, pode ficar tranquila, afinal, eu estou aqui. *Olhou para ela e rapidamente de uma piscadela, e retornou a olhar para o caminho* -- Mas, quem é Nathan, Princesa? Eu não me recordo de tê-lo encontrado antes. É um amigo de correspondência?
[21:47] <Katerine Aerdrir> -  Não se lembra? Nathan é da Ordem também, um meio-elfo de cabelos escuros que tem uma irmã gemea...a Marielle, Lembra? Hmmm ele tem fama de ser uma entidade do mal ou algo do tipo.... -  Ria com o ultimo comentário, pois algumas pessoas realmente levavam a sério aquilo, e algumas possuíam medo dele.
[21:47] <Katerine Aerdrir> >>
[21:50] <Stor> -- Ah, Nathan Vanmandil.... Não sei a razão, mas me lembro mais da irmã dele do que necessariamente ele.... *Stor fazia uma expressão nova, largando brevemente o punho da espada e coçando o queixo olhando para cima, como tentando se lembrar do rosto de Nathan* -- É, nada vêm a mente. E, eu também tenho essa fama, você querendo ou não, Princesa. Quem me olha acha que sou o demônio incarnado, armadura negra e olhos vermelhos, não há como passar despercebido.... "Por que não consigo me lembrar do rosto daquele homem? Ah... Desisto, devo cuidar da princesa agora."
[21:51] <Stor> -- Ah, Nathan Vanmandil.... Não sei a razão, mas me lembro mais da irmã dele do que necessariamente ele.... *Stor fazia uma expressão nova, largando brevemente o punho da espada e coçando o queixo olhando para cima, como tentando se lembrar do rosto de Nathan* -- É, nada vêm a mente.  "Por que não consigo me lembrar do rosto daquele homem? Ah... Desisto, devo cuidar da princesa agora."
[21:55] <Katerine Aerdrir> Ia comentar sobre outras coisas, quando percebo o comentário de Stor e não poderia deixar de provocá-lo. -  Então você se lembra da irmã dele né? Interessante, interessante..... -  Sorria de canto, maliciosa, enquanto colocava a mão no queixo para imitá-lo. Expressões e gestos que não fazia na corte, mas geralmente nas tavernas.
[21:55] <Katerine Aerdrir> >>
[22:03] <Stor> -- Princesa, não suponha nada. Eu apenas vi a conversa de vocês e ele estava de lado. Foi a irmã dele quem me abordou... A segunda mulher e me retirar do meu local de observação, hmpf.
[22:06] <Katerine Aerdrir> -  Stor ta namorando, Stor ta namorando... ele e Marielle sob a arvore se be-i-jan-do.." - Cantarolava baixo para provocá-lo, enquanto ria distraída.
[22:06] <Katerine Aerdrir> >>
[22:08] <Stor> - Pri-Princesa! Isso é desnecessário! *Dizia num tom levemente irritado, mas perdendo a compostura por um breve período* - Ademais, eu não tenho esse tipo de privilégio. Minha função é viver e morrer pela espada. Hmpf. *Stor não tinha qualquer sentimento por Marielle, isso era verdade, mas ficava facilmente vermelho quando o assunto se dava para esse lado, principalmente pela maneira direta da princesa sobre a questão*
[22:17] <Katerine Aerdrir> Começava a rir ainda mais pela vermelhidão no rosto de Stor. Era divertido deixá-lo sem compostura, tornava-o mais o humano. Limpava a lágrima do canto do olho, reação pelo riso, enquanto respirava fundo, tentando me comportar agora que haviam mais pessoas, porém era difícil pela empolgação do lugar que até me fazia deixar os pensamentos do casamento de lado. -  Ainda vamos conversar sobre isso, não vou desistir até você entender que não é uma espada ou um escudo e sim alguem que tem que viver por si próprio.
[22:17] <Katerine Aerdrir> >>
[22:18] <Stor> - Meu pai sempre me contou desse mesmo tipo de conversa que ele tinha com o Rei, e mesmo assim, ele nunca mudou. Nem eu pretendo.... Eu não fui feito pra esse tipo de coisa. *Comentava agora num tom mais sério, como se estivesse atento à multidão. Não importava o que falavam sobre ele, agora, Stor havia entrado em seu modo Guarda-Costas mesmo*
Ver o tópico anteriorVoltar ao TopoVer o tópico seguinte
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum